RESENHA: SEM LAMA NÃO HÁ LÓTUS- THICH NHAT HANH

Título Original: No Mud, No Lotus:  the art of transforming suffering
Autor: Thuch Nhat Hanh
Editora: Vozes
Páginas: 128
Sinopse: O sofrimento e a felicidade são orgânicos por natureza, e isso significa que ambos são transitórios, estão sempre mudando. A flor quando murcha se transforma em adubo. O adubo pode ajudar mais uma vez na germinação da flor. A felicidade também é orgânica e impermanente por natureza. Ela pode se transformar em sofrimento e o sofrimento pode se transformar em felicidade novamente. Se você for capaz de reconhecer e aceitar sua dor, sem fugir dela, descobrirá que embora a dor esteja presente, a alegria também pode estar ali ao mesmo tempo. 

RESENHA

Heey! Como estamos nessa terça feira? Dia de resenha o/
O livro de hoje é Sem Lama Não Há Lótus do Thich Nhat Hanh ou Thinha para os íntimos.

Primeiramente, tenho que ressaltar algo sobre esse livro. Lendo ele, eu vi umas coisas peculiares, ai fui olhar a ficha catalográfica e estava assim:
"1. Espiritualidade 2. Budismo 3. Meditações budistas...”.
E ai, fez sentido. Mas isso não é motivo para não ler, você só precisa adaptar as coisas que ele diz para sua realidade como cristão, ateu etc. Se você tem plena convicção do que acredita, não acho que vai ser um problema.

Uma das primeiras coisas que ele diz é: "Abrace o seu sofrimento". Eu fiquei: como assim? Mas ai eu já fui entendendo, abraça quer dizer admite QUE HÁ UM SOFRIMENTO. E as pessoas não fazem isso, fingem que não tem nada. Você precisa compreender a dor, de onde ela vem. Vivemos uma vida tão corrida que não paramos um momento só pra sentar e pensar. O livro vai falar também sobre o perdão, pois há magoas com pessoas e que precisamos ser transparentes e fala que a pessoa nos feriu de alguma forma e resolver isso, invés de esconder atrás do coração e carregar isso pra sempre.
Ele diz que o sofrimento e a felicidade andam juntos, então é necessário a “Lama” para que saia a "lótus".

O livro vai tratar medo, dor, sofrimento de um jeito simples, um jeito budista de ser, podemos dizer.


E no final do livro, ele fala cinco dicas incríveis para alcançar a felicidade. Vou falar só de uma que eu achei muito interessante.  Ele conta uma história aonde um homem chegou pra Buda e perguntou se ele tinha visto as vacas que ele havia perdido e ele disse que não, que não havia visto nenhuma e homem vai e diz que quer se matar por que perdeu suas vacas, ai o autor vai concluir isso assim: "Considere a prática de soltar suas vacas. Pegue um pedaço de papel e anote os nomes das suas vacas, as coisas que você acha que sejam cruciais para seu bem-estar. Talvez esta semana você possa começar soltando apena uma. Talvez duas. Ou talvez cada uma leve um ano ou mais. Quanto mais vacas você soltar, mais alegre e feliz você se tornará".

Quais são as coisas que fazem que você ache que é dependente daquilo pra ser feliz? Um relacionamento? “Preciso está com alguém se não sou feliz”. Uma amizade? Aceitação das pessoas? Quais são as vacas que se forem embora, você pode desejar morrer? Muito interessante isso. É aquele livro que você vai ler e parar pra pensar o que esta acontecendo na sua vida. Então é isso! Vou deixar o link dele no site da editora vozes, um abraço e até... :)





RESENHA: SEM LAMA NÃO HÁ LÓTUS- THICH NHAT HANH RESENHA: SEM LAMA NÃO HÁ LÓTUS- THICH NHAT HANH Reviewed by Unknown on terça-feira, maio 09, 2017 Rating: 5

12 comentários:

  1. Adoro esses livros figurativos que nos colocam pra pensar!
    E as fotos ficaram lindas!
    Mas eu não saberia falar o nome desse autor (a)? hahahha

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Oii Douglas.
    Esse livro parece ser forte. Daqueles que nos tornam autônomos aos quais não podemos não pensar a partir do que lemos.
    Amei.
    Beijos.

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  3. Olá, Douglas!
    O livro possui uma abordagem de temas complexos e reflexivos ao ser humano. Porém, não é lá uma leitura que me atrai logo de começo. O livro é interessante para quem gosta de se aprofundar e entender alguns pontos sobre a vida.
    Para um livro desse gênero, você expôs bem o conteúdo e sua opinião. Parabéns!

    Beijo, beijos
    relicariodehistoriasma.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Douglas!
    Gostei muito da premissa do livro, mesmo não sendo algo que estou acostumada a ler. Acho bacana quando o autor nos põe para refletir sobre como as coisas estão e se estão do jeito que queríamos.
    Acho que vou dar uma chance a ele.

    beijinhos!
    http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ola, Douglas! Adorei a reflexão proposta pelo livro. Tem uma sinopse muito boa! Vou anotar, quem sabe eu leio depois! Otima resenha!
    Beijos,
    Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br/

    ResponderExcluir
  6. Adoro livros religiosos, ainda mais se for referente ao budismo, umbanda ou espírita. Achei a reflexão do final bem interessante :D Acredito que leria e amaria o livro!

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  7. Olá Douglas, pelo título do livro eu não compraria!!! Mas, lendo a sinopse é a sua resenha, ele vai pra minha lista de desejados, eu amo livros que te trazem pra realidade, eu leio muito livros psicografados e amo!!! Acho que devo conhecer outros paradigmas!!!
    Com carinho
    One®

    http://onebooksoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, Douglas!

    Que fotos lindas.
    Eu gostei da premissa do livro, não estou muito acostumada com leituras assim, mas gosto quando nos faz pensar, refletir e traz algum aprendizado. Achei bem interessante esse e eu leria sim.
    Gostei da reflexão final!

    bjs
    Fernanda
    http://condutaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Douglas!
    Gostei muito da premissa do livro, eu adoro livros que nos fazem refletir sobre a vida e sempre acabam mudando a nossa forma de ver algumas coisas.
    Beijos

    coresliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  10. Awww, livros que nos traz reflexões são os melhores. Acho que a religião não importa, mas o que o livro traz. Eu sou evangélica, mas não sou preconceituosa com outros tipos de leitura (só não leio eróticos e auto-ajuda, por questões pessoais mesmo: não gosto, hahaha). Não sou de ler livros desse tipo porque até agora os que vi não me agradaram, mas acho que não teria problemas em ler.
    Beijos (esse nome desse autor é complicado, nem sei como se pronuncia, kkk)

    ResponderExcluir
  11. Gosto muito de livros que nos fazem refletir, que nos tiram da nossa zona de conforto, para nos mostrar a realidade da vida.
    Parabéns pela resenha👏🏻

    ResponderExcluir
  12. Conheci o livro através deste post, parece ser um livro cheio de reflexões e forte.

    ResponderExcluir

Romário Bispo